quarta-feira, 27 de novembro de 2013

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

o que é escrever?



O que é escrever? Um troço que eu não posso sem. Solidão. Infinito. Uma pitada de abrigo. Um enorme vazio preenchido a golpes do que eu não digo.
O que é escrever? Solidão. Traço em laço de mão. Palavra palavra e letra. Avançar de desenhos sobre a página.
O que é escrever. Um caderno que tem páginas e páginas preenchidas. Um caminho sem volta. Zigue-zague. Uma costura do futuro inaudito no presente o passado que vem.
O que é escrever sem abrigo. Ninguém pra lhe dizer amém. Nem um só sim de um amigo nem nada que te assegure a que vem.
O que é escrever nesse frio nesse escuro nessa noite sem fim nesse dia a dia. Ter as pétalas de um novo destino e a certeza de que nada faz sentido passados apenas alguns dias além.
O que é escrever verso solto palavras desconformes das leis. Regras nenhumas seguidas. Não ter roteiro ou gancho ou enredo não ter personagem também.
O que é escrever nesse abismo. Um silêncio tão surdo inimigo um desprezo de todos um riso um não acreditar que você perca seu tempo com isso.
O que é escrever sem público escrever para si mesmo. O que é escrever solitário. Escrever só escrever. Só tendo por conforto a palavra que ainda não dita está soprando no ouvido murmurindo um rumor tremido um descortino do mundo imprevisto um desdobrar desse instante e mais nada adiante ou aquém.
(extraído do livro "um a um - os poros da paisagem pólen".)