quarta-feira, 9 de novembro de 2016

flecha



Furar as madeiras. Delas só a ripas. Arrancar a farpa para o dedo. Extrair da lua o halo livre. Ver o sustentáculo do céu inteiro. Anotar todas as frases nas paredes. Fazer-se oco para o veneno. Ser o contrário do evidente. Passar despercebido pelo meio. Arrastar de mim o fora só o dentro. Ser o contrário do começo. Ser o contrário do final. Ser o contrário do contrário. Deixar de ser perpétuo não sou eu mas que se chama eu. Não ver lá fora não ver lá dentro. Como corpúsculo fazer corpo com o que em mim não é mim mas que me está como corpo. Como corpúsculo compor como parte as outras partes do que se dá inteiro. Ao contrário da era. Ser a hera que sobe pelo muro fibras galhos espinhos pétalas. Fazer mel com o conluio das abelhas. Metacarpo. Cápsula acúlea. Cair para o lado que se não vê e não se entende. Tomar a parte pelo inteiro. Ser o insensível invisível inaudível inominavelmente ser sem ser sem ser ser sem ser sem ser ser certeiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário